#8 a minha casinha

De vez em quando saí-nos um filme pela culatra! Em relação a Neil Jordan não deveria existir essa possibilidade, sobretudo depois de The Crying Game(1992) (em Pt, Jogo de Lágrimas), onde a revelação do inesperado amor transexual, assume uma relevância que quase asfixia o resto do filme. Neste Breakfast on Pluto (2005) que ontem me veio parar ao ecrã, o realizador revisita alguns lugares que lhe parecem ser comuns, de modo invulgar fazendo enredar no argumento a luta pela afirmação de um país (Irlanda e o Ira nos anos 70), com a perseverança da afirmação sexual, embora aqui invertendo os papéis em relação ao Jogo de Lágrimas, em que a trama da guerra assumia o papel principal. O registo ora do mais vetusto drama ora da mais hilariante comédia é soberbo, graças à estupenda interpretação de Cillian Murphy, no papel da Kitten, (trad:gatinha), “guerrilheira travesti” que contra tudo e contra todos navega na sua lírica afirmação sexual, que aliás nem afirma, ela(e) É acima de quaisquer dúvidas, ou se as há elas estão da lado da sociedade e do espectador. O conluío de todo o macho que se aproxima de Kitten é de tal forma, que espezinha completamente as sempre confortáveis noções de identidade sexual, restando saber o que pensam os homens irlandeses deste realizador, aqui num registo “almodovariano” mas à irlandesa, onde há filhos não assumidos de padres, deficientes mentais a fumar charros, clínicas de abortos, travestis, etc… enfim, um prodígio do políticamente correcto….

Na foto, uma “Kitten” que decidiu momentaneamente posar para a minha câmara.

Share: Facebook, Twitter, Pinterest

Leave a Comment: