A guerra do Kite

Ando em falta com os amigos leitores, mas o sonho antigo de aprender kitesurf tem tomado algum tempo. Nem todos os dias existem as condições ideais para a iniciação, ora são os ventos, as ondas, o estado da lua ou o próprio ânimo do aprendiz. Após algumas sessões de pancadaria, ainda só me consegui pôr de pé aí por uns vinte metros e confesso que nem sequer deu para apreciar a paisagem, tal era a quantidade de coisas com que todo o meu eu guerreava ao mesmo tempo. Fotografar é bem mais fácil (agora…), o que não parece ser o caso quando se trabalha em zonas de conflito, pelo que aqui deixo as sugestões de Teru Kuwayama a quem se queira aventurar como fotógrafo de guerra.

Share: Facebook, Twitter, Pinterest

Leave a Comment: