david s ware, godspellized

Na foto: Momento de oração, Mosteiro Budista Manjushri
[youtube ToYhjBKsTqA]

Há uns anos, enfrentei uma duro workshop de desenvolvimento pessoal, na manhã da recepção, ao entrar na sala, John Coltrane soprava “A Love Supreme” em altos berros, senti-me tão bem acolhido que mal vislumbrei o que se poderia seguir. Passados anos, novo processo de renascimento, desta feita acompanhado pela música de David S Ware, que me acolheu com “Godspellized“. Ambos os músicos partilham um concepção do Jazz, que envolve termos próximos da noção de Deus, de Espírito, de Amor, sendo “A Love Supreme” para além do tributo de John Coltrane ao Criador, uma das obras maiores de toda  a história do Jazz. “Godspellized“, cujo tradução significa literalmente, enfeitiçado por Deus, embora menos conhecido não é por isso menos venerado entre os conhecedores. David S Ware, cuja sonoridade e praxis musical, condensa espiritualidade, individualidade e liberdade criativa, é desse modo comummente situado como descendente maior duma hipotética linhagem iniciada em John Coltrane e que passa por Pharoah Sanders, Albert Ayler, Charles Gayle, etc.

Passo a contar a história que me moveu a escrever este post: David Ware sofre de disfunção renal desde 1999, fazendo diálise quase diariamente. Em Janeiro, os médicos confrontaram-no com o risco de vida, caso não obtivesse uma doacção de rim. Steven Joerg, da sua editora Aum Fidelity, informou através de email (obrigado, Eduardo) que tinha sido encontrado um(a) dador compatível, Laura Mehr, informando-nos também de que já existe data marcada para o transplante, 5 de Maio.

Laura, escreveu-nos esta nota:
Over 30 years ago, my husband and David shared time and spiritual understanding. During Maurice’s lifetime as a spiritual aspirant and transcendent artist, Maurice talked affectionately about David and the mutual artistic understandings and spiritual connections they shared.
When Maurice passed on almost two years ago, I contacted David to let him know that Maurice had passed. About a year after that, a friend of mine was in need of a kidney transplant, and I volunteered to be tested. Before I could be tested, my friend received a kidney from the UNOS transplant list. This was a great happy surprise to both of us, and he is now home and his new kidney is functioning well. Less than 48 hours after I got the news that my friend had received his transplant, Steven sent out the appeal about David’s situation. My stunned reaction that this could be happening so quickly, gave way to the even greater surprise that as with my friend, David and I were the same blood type.  I did not hesitate to volunteer, as I knew that this was not simply happenstance, but divine intervention. As David later said “Life is truly stranger than fiction”.
Things have moved quickly from that point, and all tests have come back as a match, and we are ready, on May 5th, to cross that bright line where giving and receiving are actually one and the same.”

–Laura Mehr

Uma vez que lhes não posso enviar as lágrimas de alegria que verti, quando soube desta extraordinária sincronicidade e altruísmo, este post serve apenas como pálida nota de gratidão, a David S Ware, pelos sucessivos layers de divino que a sua música vem revelando em mim, a Steven Joerg, pela demonstração de como negócio e profissionalismo também rimam com humanismo, e finalmente, a Laura Mehr, talvez o anjo maior desta constelação, que com a sua dádiva altruista, permite a revelação de que a fina linha entre o dar e o receber, são apenas uma e a mesma.

Share: Facebook, Twitter, Pinterest

Leave a Comment: