Previous
Next

School Affairs, 2011-2013

Série onde se cruzam o lado biográfico e o regime ético, da produção de imagens. Em 2011 voltei à Universidade para estudar fotografia, num momento de crise existencial, a entrada na meia idade, e crise vocacional, se entendermos por crise a entrada em territórios novos, inexplorados, potenciadores de conflito, mas também de crescimento, interno. As imagens tendem a apoiar-se no regime escopofílico de produção e visualização de imagens do corpo feminino através do olhar masculino, onde a ambiguidade da visão e do olhar (gaze) fornecem o fio condutor. 

Através do retrato, a rara aparição do olho faz-se em viés, enunciando uma distorção, uma frustração do olhar, ou uma fantasia que não se materializa; as imagens do corpo feminino parecem investidas de um desejo crescente, de materialização e de visão, desejo esse igualmente frustrado, o corpo pouco se revela, e quando tal acontece é sem contornos, amorfo, em simulacro que prenuncia uma crise, do olhar e do desejo.

Series where the biographical side and the ethical regime of image production intersect. In 2011 I returned to the University to study photography, in a moment of existential crisis, the entry into middle age, and vocational crisis, if we understand by crisis the entry into new, unexplored territories, enhancers of conflict, but also of internal growth. The images tend to be supported by the scopophilic regime of image production and visualization of the female body through the male gaze, where the ambiguity of sight and gaze provide the guiding thread.

Through the portrait, the rare appearance of the eye is biased, enunciating a distortion, a frustration of the gaze, or a fantasy that does not materialize; the images of the female body seem invested with a growing desire of materialization and vision, which is equally frustrated, the body reveals little, and when this happens is without contours, amorphous, simulacrum that foreshadows a crisis, of look and desire.